Coisas pra se fazer no calor (Meme de 52 Semanas)

… Lay down, try not to cry, cry a lot. Mentira. Não, talvez não. Deus sabe como eu odeio o verão. Sou a primeira a comemorar quando ele acaba, mas quando ele começa…

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

 

 

Imagem

 

Enfim, não dá pra fazer uma lista shiny happy people de tudo que é legal de fazer no verão, porque eu definitivamente não sou dessas. As coisas que eu faço no verão são praticamente o contrário do que todo mundo faz. Por mim, ficava em casa, no ar condicionado, tomando Häagen-Dazs o dia inteiro. A gente pode sonhar, não pode?

1. Banho de cachoeira: se você tem alguma por perto, quero dizer. As pessoas normalmente gostam de ir a praia ou a piscina no calor, mas a exposição ao sol nesse tipo de atividade é garantia de um programa de índio pra mim. Gosto de cachoeiras porque é garantido de a água estar gelada e as árvores ao redor oferecem uma proteção pro sol forte.

2. Tomar sorvete: elementar, meu caro Watson. Pelo menos me parece que o gosto por sorvete é muito comum na minha família (eu, meu pai e minha avó somos capazes de tomar quantidades absurdas de nossos sorvetes favoritos), mas acho que é mais uma característica da população em geral. Tem como não amar esse alimento maravilhoso? Ainda mais num dia de verão? Ou qualquer dia at all?

3. Lavar mantas, cobertores, cortinas, tapetes, etc.: parece dica do Dr. Dráuzio Varela, mas não é. (Ou é?) Fato é que esses itens costumam ser pouco lavados, e por tendem a acumular muita poeira porque são de uso diário. Eu tenho muita rinite, então costumo aproveitar esses dias quentes e de sol pra lavar essas coisas. Tenho muita preguiça de fazer faxina (ou qualquer coisa de todo) no verão, então é bom saber que é a máquina de lavar roupas que vai fazer esse serviço por mim. O meu esforço se resume a ligar a máquina e pendurar no varal o que ela lavou. Duro, viu? No fim, o cheirinho de roupa lavada é a minha recompensa.

4. Banho de mangueira/Banho de chuva: coloquei as duas coisas no mesmo item porque ambos me lembram a mesma coisa: infância, férias escolares de verão na casa da minha avó. Na cidade em que ela morava costuma fazer bastante calor, mas sempre com uma brisa agradável e pelo menos todo ano no verão acontecia uma baita chuva! Nesses dias eu tomava banho de chuva no quintal. Também foi o fato de vovó morar em uma casa (eu sempre morei em apartamento) que me proporcionou vários banhos de mangueira nos dias escaldantes do Paraná. Saudades dela, saudades dessa época.

5. Rezar pra que o inverno chegue logo. ‘Nuff said.

Ironicamente, eu terminei essa lista num dia frio. 25º, Aleluia!

Imagem

Anúncios

Eu nunca… (Meme de 52 Semanas)

1. Quebrei um osso: uma façanha realmente inacreditável, visto que vem da pessoa mais desajeitada do mundo. Esbarro em gente e tropeço na rua praticamente todos os dias, e já tomei tombos dignos das vídeocassetadas mais infames, mas jamais sequer torci um membro.

2. Aprendi a andar de bicicleta. Gosto de pensar que o fato de que sei nadar contrabalança essa inabilidade em questão. O fato é que, por força desse fenômeno bizarro da natureza no qual o chão exerce um poder sobrenatural de atração sobre mim, eu nunca ultrapassei a fase das rodinhas. O que ninguém sabe é que esse é o “eu nunca” do qual eu mais sinto falta…

3. Pratiquei um esporte. Digo isso porque nunca me aprimorei em qualquer esporte de modo a poder me considerar uma desportista. Já tentei todos os tradicionais aos quais todos (ou quase todos, espero eu) têm fácil acesso: vôlei, basquete, natação e até badminton. Só que acho que pra praticar você precisa saber praticar, o que eu nunca sequer cheguei a conseguir. Em todos os casos realizei pífias tentativas, sem nunca chegar a algo que possa ser categorizado como efetiva prática. Inteligência corporal-cinestésica, a gente não vê por aqui.

4. Aprendi a tocar flauta transversal. Essa aqui é puro recalque mesmo. Quando eu era mais nova, aprender a tocar essa flauta era meu sonho. Só que o flautista da igreja me gongou e falou pra minha mãe que antes de tocar flauta transversal, era melhor que eu aprendesse a tocar flauta doce pra depois fazer a transição mais facilmente. Resultado: aprendi a tocar a flauta doce, que, eu descobri na prática, não tem absolutamente nada a ver com a transversal se não pelo fato de que você tem que soprar o ar pra dentro do instrumento, o que faz com que a flauta transversal se assemelhe tanto à flauta doce quanto o trombone. Por esse motivo, mais de 14 anos se passaram sem que eu aprendesse a bendita. Eu sei que parece bobo e extremamente nerd, mas isso me dá uma raiva…

5. Li qualquer livro da série Harry Potter. PAH! Na cara da sociedade. Sou uma pessoa estranha e causo assombro nas pessoas. Não gosto de bolo, nem de chocolate, verdadeiramente detesto os Beatles e nunca li Harry Potter.

Boa noite, gente.

Coisas que me fazem ficar feliz (Meme de 52 Semanas)

Amora e o seu barrigão-delícia.

Amora e o seu barrigão-delícia.

1. Guida & Amora: estudos científicos apontam que os gatos fazem bem à saúde, mas eu nem preciso ler nenhum deles pra ter certeza de que o mais leve ronronar dessas duas faz mais por mim do que todos os antidepressivos do mundo juntos. Se esse fenômeno possui uma razão bioquímica de ser, não sei, só sei que desde que essas bigodudas entraram na minha vida, sou mais feliz, sem sombras de dúvida.

2. Abraços: ainda na linha do senso comum, certa vez li que os seres humanos necessitam de ao menos um abraço por dia pra sobreviver. Não sei se isso se aplica a todos seres humanos, mas é uma verdade absoluta na minha vida. Um abraço bem dado e capaz de mudar o rumo do meu dia.

3. Dias nublados e/ou frios: eu poderia citar um milhão de motivos pelos quais adoro esses dias e ainda assim não ser capaz de expressar toda a felicidade que eles me proporcionam. É um fenômeno em si inexplicável, ainda mais considerando que com 99,9% da população da minha cidade o efeito parece ser o inverso. Comemoro a chegada de frentes frias como um torcedor de futebol comemora um gol e posso afirmar categoricamente que sou mais feliz no inverno.

4. Novidades: esse provavelmente é o aspecto mais materialista da minha personalidade. Sempre fico muito feliz a respeito de novidades, sejam elas boas novas ou coisas novas, tanto compradas como ganhadas. Enquanto essas coisas conservam o aspecto de novo, fico toda felizinha a respeito delas. Depois que deixaram de ser novidade, já não me empolgam tanto. Não é algo de que me orgulhe.

5. Livrarias: e tudo que há dentro delas. Quem me conhece sabe que eu não tenho exatamente o que se pode chamar de personalidade resplandecente. Não estou sempre de mal humor, mas também não sou aquele tipo de pessoa dona de um bom humor fulgurante… até passar na porta de uma livraria. Acho que já dá pra ter uma ideia.

Nas palavras da querida Daniela, 52 Semanas é: tipo um meme gigante que leva 52 semanas, ou seja, um ano para ser respondido. Para cada semana, há uma pergunta que deve ser respondida com uma listinha de 5 itens.