Meu antigo blog morreu.

Na verdade, eu quem o matou. Eu costumava pensar que não havia sentido em escrever, pois o meu blog era só mais um em um universo já saturado. Passava em branco, não tinha destaque, e eu sentia com frequência que estava escrevendo para as paredes.

Nunca serei uma blogueira famosa, isso nem passa pela minha cabeça. Atualmente parece que todo mundo está mais interessado em blogs cheios de fotos tiradas com câmeras semi-profissionais do que em ler um post cabeça, como alguns meus das antigas. Então, estou fadada ao anonimato. Nada contra, só não é muito provável que alguém veja nada disso por aqui. Não vou resenhar os produtos de beleza que recebi de presente de marcas, porque não recebo, nem espero receber jabá nenhum. Também não haverá fotos de look do dia, porque a seleção se jeans e blusas que eu uso diariamente não vai interessar ninguém. Seremos só eu e os meus textos.

Então, que ninguém leia. Não é por causa dos outros que vou voltar a escrever. Por favor, eventual leitor, não fique ofendido. Você é mais do que bem vindo. Mas é que nos últimos tempos eu senti uma vontade ardente de voltar a escrever, em manifestar essa parte de mim que me faz sentir especial e que há tempo demais está esquecida. Eu sempre gostei de escrever, sempre fui boa nisso e foi com um pesar profundo que eu me dei conta que um dos últimos textos “oficiais” que escrevi data de 2009. Só que parei de escrever por falta de “tempo”, por me sentir desmotivada, desvalorizada. Agora nada disso me importa mais. Vou me forçar a escrever, porque só agora me dei conta de como isso é importante pra mim. Mais do que isso, é parte de mim. A partir de agora, essa sou eu escrevendo pras paredes.